Quinta-Feira, 19 de Outubro de 2017



Notícias
Ajustar texto:

Federação

Legislação Previdenciária

  • IN 45 INSS
  • IN 77 INSS
  • IN 69 INSS

Legislação Trabalhista

Perguntas da Polícia Federal a Temer remetem ao setor portuário
Por: Jornal A Tribuna
Postado em: 12/06/2017 as 14:49:06

A Operação Patmos é uma investigação baseada na delação premiada de executivos da holding J&F, especialmente de um de seus controladores, Joesley Batista, e do ex-diretor de Relações Institucionais do conglomerado, Ricardo Saud. As informações apresentadas põem Temer sob suspeita.

O setor portuário aparece como tema da 48ª 56ª pergunta (confira no destaque ao lado). As duas primeiras pedem informações sobre o eventual relacionamento do presidente com o presidente do Grupo Rodrimar, Antônio Celso Grecco. Conforme A Tribuna revelou em reportagem publicada no dia 26 do mês passado, em sua delação premiada, homologada pelo Supremo Tribunal Federal, Ricardo Saud citou contatos com executivos da Rodrimar e, na sequência, afirmou que Grecco é “muito amigo do Temer há muitos anos”.

Na sequência, a Polícia Federal questiona se o presidente recebeu um pedido da Rodrimar ou de outra empresa do setor sobre a questão do “pré-93”, referindo-se ao pleito de companhias do segmento para que os contratos de arrendamento de áreas portuárias firmados antes de 1993 (ano da Lei de Modernização dos Portos, marco regulatório que impulsionou a concessão de terminais nos complexos marítimos) pudessem ser renovados. O ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures chegou a questionar o presidente se essa proposta seria atendida com o novo Decreto dos Portos e voltou a abordar a questão com integrantes da Casa Civil, como mostraram ligações gravadas do parlamentar.

O Grupo Rodrimar é relacionado a esse tema pois um de seus terminais no Porto de Santos foi arrendado antes de 1993 e a empresa era uma das que defendiam a renovação desses contratos.

O Decreto dos Portos acabou não alterando a situação dos arrendamentos firmados antes de 1993, que terão de ser licitados.

As duas últimas questões da Polícia Federal citam um dos diretores do grupo, Ricardo Mesquita. Ele aparece conversando com Loures, tratando sobre a assinatura do novo Decreto dos Portos, nas ligações gravadas do parlamentar. 

Mesquita ainda foi gravado pela PF na reunião que Ricardo Saud e Rodrigo Loures tiveram em 24 de abril deste ano, para tratar do pagamento de R$ 500 mil de propina pela JBS (controlada pela J&F). Nas conversas registradas, Mesquita apenas se apresenta. Mas, após sua saída, Loures cita a possibilidade de utilizar o executivo portuário para receber os R$ 500 mil.

Questionado sobre a citação de seu nome e o de seus executivos nas questões feitas pela PF a Michel Temer, o Grupo Rodrimar respondeu, em nota, que não iria se manifestar. E destacou que “a empresa e seus executivos foram involuntariamente envolvidos nesta investigação. A Rodrimar ressalta, no entanto, que nunca foi beneficiada pelo Governo. O ‘decreto dos portos’, citado em delação premiada, não contemplou as reivindicações do setor e da própria Rodrimar”. 




termos MPT/PGT

Acesso Restrito

  • Balancetes
  • Prestação de Contas
  • Atas

Sindicato dos Estivadores






contato : 61 3224.1599 / 3323.2242
FEDERAÇÃO NACIONAL DOS ESTIVADORES
SCS - QUADRA 01 BLOCO "G" SALA 506 - EDIFICIO BARACAT
CEP 70309-900 - BRASILIA/DF
SIGA-NOS
© 2015 FNE - Todos os direitos reservados.